Entidades condenam o EaD na Enfermagem – ensino remoto foi temporário na pandemia e atividades presenciais devem retornar

No último dia 4, o Cofen reforçou seu posicionamento contrário ao Ensino a Distância nos cursos técnicos e de graduação da Enfermagem, que tiveram autorização emergencial autorizada durante a pandemia.
O Conselho reiterou que o Ensino Emergencial de Enfermagem teve caráter provisório e temporário, salientando que foram mantidas as características da modalidade presencial no ambiente virtual, com aulas síncronas, em tempo real entre professores e alunas, mediadas pela tecnologia por conta da necessidade de isolamento social.
Porém, com o recrudescimento dos números da pandemia, o Cofen manifestou a importância do retorno das atividades presenciais, como essenciais para o desenvolvimento das competências dos profissionais da enfermagem.
O parecer emitido pelo Conselho traz embasamento científico de pesquisadores da Educação e da Enfermagem.

Leia aqui a íntegra do documento.

O SERGS tem manifestado em diferentes ocasiões sua posição contrária ao EaD na Enfermagem. Segundo a presidenta do SERGS, Cláudia Franco, “o EaD fere o essencial da prática da enfermagem, onde o toque é fundamental para o cuidado. Não é possível ensinar a dar um banho de leito, aplicar medicamentos intravenosos ou fazer citopatológicos ou cuidados paliativos a distância. Por isso defendemos o ensino presencial”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quatro + dezessete =