Prefeitura de Porto Alegre: números comprovam que há uma crise fabricada para justificar a privatização

 

A diretora do SERGS, Cláudia Silva, participou nesta quarta, dia 4, na sede do Simpa, de reunião de apresentação do relatório “A verdade sobre as finanças da Prefeitura de Porto Alegre”. A pesquisa foi desenvolvida pelo Instituto de Debates, Estudos e Alternativas de Porto Alegre (IDEA), com o objetivo de propiciar o conhecimento da verdade sobre as finanças da Prefeitura.

Os dados foram obtidos no Portal de Transparência do Município de Porto Alegre, Departamento Municipal de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Porto Alegre [PREVIMPA], Fundação de Economia e Estatística do RS, Tribunal de Contas do Estado [TCE], Secretaria Nacional de Previdência do Governo Federal, IBGE e OCDE. Todos valores foram atualizados pelo IPCA até 31 de dezembro de 2019.

Segundo a pesquisa, há na verdade um simulacro de crise na capital gaúcha, ou seja, um discurso de que a cidade está deficitária, mas os números não comprovam isso. “A fachada de crise tem servido de alicerce para o discurso neoliberal de privatização da atual gestão municipal. A máscara do prefeito Marchezan está caindo”, comenta Cláudia.

Na saúde, essa situação é muito evidente, com a insistência da prefeitura de acabar rapidamente com o IMESF e colocar empresas terceirizadas atuando na atenção básica. Segundo Cláudia, os números demonstram que é possível a prefeitura absorver esses trabalhadores concursados como servidores municipais, pois existe recurso para isso e a Lei de Responsabilidade Fiscal está bem aquém do que é divulgado pela atual gestão.

Acesse a pesquisa na íntegra – A Verdade sobre as finanças da Prefeitura de Porto ALegre-interc

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 10 =