Falta de diálogo da gestão Marchezan pode resultar em greve geral na Saúde

 

A paralisação dos trabalhadores(as) do Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família (IMESF) aconteceu no dia 18 e contou com a adesão de mais de mil participantes nos protestos pelas ruas de Porto Alegre. Cerca de 85, dos 140 postos de saúde da capital, fecharam as portas nesse dia histórico de luta, demonstrando a insatisfação dos profissionais que estão com defasagem salarial há quase três anos. Como não houve negociação com a prefeitura, definiu-se a data de 24 de julho para uma assembleia geral da categoria. Será no salão da Igreja Pompeia, na rua Barros Cassal, 220, a partir das 18h. O SERGS, Sindisaúde-RS e Sindacs convocam todos trabalhadores(as) a comparecerem a essa importante reunião, que pode decidir pelo início de uma greve geral da saúde de Porto Alegre.

O protesto começou às 8 horas na frente da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Vários enfermeiros(as), técnicos(as) de enfermagem e agentes comunitários(as) da área tiveram voz ao microfone, contando sobre os problemas que enfrentam no dia-a-dia profissional. Por volta das 10h30 os manifestantes começaram uma passeata, contornando a Redenção, depois entrando no Túnel da Conceição, a seguir tomando a Av. Mauá e finalizando na frente da prefeitura. Uma multidão com palavras de ordem como “Fora Marchezan”, chamaram a atenção não só da imprensa local – que deu ampla cobertura jornalística ao ato – como da população que demonstrava solidariedade e descontentamento com a atual gestão.

Para a diretora do SERGS, Janice Schiar, esse movimento mostrou a força de mobilização dos trabalhadores(as) com uma gestão que não dialoga com seus profissionais. “Incansavelmente os sindicatos, comissões e trabalhadores estiveram em diversas mesas de negociações sem sucesso algum e sem nenhum retorno por parte da prefeitura. Por isso, a hora de dar um basta nisso é agora!”, ressalta.

Estêvão Finger, presidente do SERGS, salienta a importância de todos(as) participarem da assembleia do dia 24 para demonstrarem a união, a força e a luta da categoria profissional do IMESF.

 

Texto e fotos: Juliana Leal

Jornalista DRT-DF 10.947/05

(SERGS/Interlig)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × quatro =