SMS não responde questionamentos sobre dispensação e violência nos postos de Porto Alegre

O SERGS mais uma vez protestou contra o desvio de função na enfermagem e o descaso com a segurança de profissionais e usuários(as), na reunião da Frente em Defesa da Estratégia de Saúde da Família, realizada nesta quinta, dia 14, na Câmara de Vereadores de Porto Alegre. Vários(as) trabalhadores(as) estiveram presentes no encontro, que tinha como tema a dispensação de medicamentos e a violência.

O presidente do SERGS, Estevão Finger, lamentou a falta de uma posição clara da Secretaria Municipal da Saúde, que encaminhou como representante o Secretário Adjunto da área Pablo de Lannoy Sturmer. “É muito triste ver o desmonte dos serviços de saúde e o descaso da atual gestão com o funcionalismo. Tivemos uma série de casos de violência recentemente, além da sobrecarga dos profissionais”, comentou.

Estevão defendeu a Decisão do Coren-RS, 008/2016, referente à proibição da dispensação de medicamentos por profissionais da enfermagem, e lembrou que esta é uma atividade inerente ao profissional farmacêutico, por legislação. Segundo ele, é importante que a população que utiliza o serviço público em Porto Alegre tenha o mesmo zelo de uma farmácia comercial, onde existe profissional farmacêutico. Além disso, a função das equipes de enfermagem é fazer a assistência de enfermagem.  Dispensar medicamentos, além de ilegal, é desvio de função. Já é de conhecimento público, que faltam profissionais da enfermagem nos postos de saúde da capital, e com o desvio de função, aumenta a sobrecarga de trabalho e até mesmo o adoecimento profissional.

Texto e fotos: Assessoria de Comunicação SERGS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 5 =