Alvorada: dia de lutas e apoio do Legislativo

Uma quarta-feira de intensa mobilização em busca de apoio do Legislativo gaúcho para encontrar alternativas para amenizar a grave crise em que se encontra a saúde da região metropolitana. O dia 3 de abril iniciou com reunião da Comissão de Saúde e Meio Ambiente, na Assembleia Legislativa. O SERGS foi representado por sua diretora Bruna Engelman (de forma remota) e Inara Ruas, presente também na qualidade de vice-presidente do Conselho Estadual de Saúde e diretora da FNE. A pauta dos parlamentares da comissão previa a apresentação do relatório quadrimestral pelo governo, mas os sindicatos aproveitaram a ocasião e a presença da Secretária Adjunta Ana Costa para trazer o debate sobre a situação dos hospitais de Alvorada e Cachoeirinha.

Com o auditório lotado de trabalhadores, vários deputados criticaram a contratação de “empresas-tampão”, sem licitação, e o desligamento dos trabalhadores, votando pela realização de uma audiência pública específica sobre a situação nestes hospitais.

Inara relatou os problemas ocorridos na transição para a nova empresa que assumiu no último dia 01 de abril o Hospital de Alvorada – a Associação João Paulo II, fundada em Portugal, com sede em Recife. Também falou sobre o desrespeito com os profissionais (demitidos por email) e o “efeito cascata” que prejudica o atendimento da saúde na capital e região metropolitana.  “No Conselho Estadual de Saúde defendemos que os hospitais próprios do Estado devam ser administrados pelo governo estadual. Os servidores não têm culpa da má gestão”, afirmou.

No final da tarde, representantes sindicais e os deputados Stela Farias, Miguel Rosseto e Dr. Thiago, juntamente com lideranças locais de Alvorada foram até o hospital para verificar as condições de trabalho e o atendimento da população. Na visita, participaram pelo SERGS os diretores Inara Ruas e Ismael Miranda da Rosa. A comitiva foi recebida pelo novo gestor Pedro Paraíso, diretor da Associação João Paulo II, e novamente teve a presença da Secretária Adjunta Ana Costa e equipe.

Pedro Paraíso apontou a falta de informações por parte do IFUC durante a transição, mas garantiu que os serviços à comunidade serão mantidos. Em vários momentos, o novo gestor foi questionado pelos sindicalistas sobre a contratação de profissionais e a responsabilidade técnica nas diferentes áreas hospitalares. Os deputados vão solicitar relatórios pormenorizados para entender melhor a situação do atendimento.

Nesta quinta (4), a luta em defesa dos trabalhadores de Alvorada continua com a mediação no TRT-4, a partir das 14h. A apreensão também é dos trabalhadores de Cachoeirinha, com transição de gestão anunciada para o próximo dia 8.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dois × três =