Com mediação no TRT-4, sindicatos tentam firmar acordo com Hapvida/Centro Clínico Gaúcho – Humaniza e Unidades de Saúde

SERGS, Sindisaude e Sindifars tentaram mais uma vez um acordo com o Hapvida/Centro Clínico Gaúcho – Humaniza e Unidades de Saúde, na mediação realizada nesta terça (30) no TRT-4. A mediação, conduzida pelo desembargador Alexandre Corrêa da Cruz, teve a participação da presidente do SERGS, Cláudia Franco, e da assessora jurídica Raquel Paese.

Os sindicatos buscam há muito tempo fechar um acordo esse conglomerado, envolvendo reajuste salarial, recomposição de perdas e cláusulas gerais. As tratativas negociais têm pontos controversos e rejeitados pela empresa, como a homologação das rescisões nos sindicatos, escolha do delegado sindical, folga extra mensal na escala 12×36, prazo de Banco de Horas e licença para acompanhar familiar, além da incorporação dos vales refeição e alimentação.

Ficou definido na mediação que Hapvida/Centro Clínico Gaúcho – Humaniza e Unidades de Saúde têm prazo de 15 dias para apresentar minutas individualizadas aos sindicatos, contemplando reajustes salariais. Depois disso, os sindicatos vão analisar as propostas e se manifestar em relação à continuidade da mediação.

A presidente do SERGS, Cláudia Franco, ressaltou a importância da unidade sindical no RS e lembrou que os sindicatos sempre recomendaram que a instituição adotasse a Convenção Sindihospa e, diante da negativa, há mais de um ano os sindicatos tentam fechar acordo sem sucesso. “Os trabalhadores merecem respeito, há muitas cláusulas que são comuns a todos e também peculiaridades de cada uma das categorias, que precisam ser observadas”, ponderou.

Uma próxima sessão de mediação entre sindicatos e Hapvida/Centro Clínico Gaúcho – Humaniza e Unidades de Saúde está marcada para o dia 7 de março, às 10h, no TRT-4.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

13 − 3 =