Sindiberf-RS : mediação encaminha positivamente reposição de perdas e cumprimento da data base

Uma nova sessão de mediação entre Sindiberf RS (POA e bases inorganizadas) e os sindicatos de trabalhadores foi realizada nesta terça (16) no TRT-4, sob a condução do desembargador Alexandre Correa da Cruz. O SERGS foi representado por sua presidente Cláudia Franco e vice-presidente Denize Cruz, acompanhadas da assessora jurídica Raquel Paese.

Após intenso debate, sindicatos apresentaram a proposta de fechar as convenções 2023 e 2024 em conjunto. Referente ao ano de 2023, a mediação propôs a ratificação do acordo firmado na mediação anterior, que estabelece o pagamento de 4,0% (INPC 3.83%) de reajuste nos filantrópicos da base POA e demais bases inorganizadas, desde o último mês de novembro.  Para 2024, ficou proposto o reajuste salarial de 2% sobre a remuneração, a ser implementado até a próxima data-base (1/05/24), além da garantia da correção salarial equivalente ao INPC anual acumulado em 1/05/24.

Assim, se houver ajuste neste patamar, fica solucionado o impasse referente à reposição de 2023 e as perdas acumuladas de 2019 a 2023 (por conta da não retroatividade dos reajustes às datas base), e garantida a reposição inflacionária deste ano. A proposta também prevê a manutenção de todas as demais cláusulas sociais por dois anos, observados os apontamentos feitos pelo Ministério Público do Trabalho (referentes à jornada e outros temas específicos).

O retorno à data-base em 2024 e a reposição de perdas de convenções anteriores é um dos pontos mais positivos dessa proposta, na visão do SERGS e demais sindicatos. O Sindiberf RS (POA e bases inorganizadas) agora irá avaliar e dar retorno sobre a proposta feita na mediação. Uma nova sessão ficou marcada para o dia 29 de janeiro, às 10h, na sede do TRT-4.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

6 + 10 =