Sindiberf precisa sair do NÃO para fechar acordo antes do NATAL

Uma nova tentativa de mediação entre SERGS e Sindiberf aconteceu nesta terça (5), no TRT-4. Foi a primeira mediação do novo vice-presidente Alexandre Corrêa da Cruz, empossado na última semana. A sessão foi conjunta e reuniu várias categorias da saúde que atuam nas instituições filantrópicas. O SERGS foi representado por sua presidenta Cláudia Franco.

Mais uma vez, os representantes da entidade patronal buscaram atrelar o tema do piso salarial da enfermagem à reposição das perdas financeiras. A presidenta do SERGS lamentou a tentativa de unir duas coisas que não devem se misturar. “Não se pode confundir a luta do piso com a reposição do INPC e ainda deslocada da data base”, afirmou.

Cláudia argumentou que o objeto da mediação são as perdas acumuladas no período e que a proposta do Sindiberf  não pode simplesmente excluir a enfermagem. Disse que o SERGS já fechou vários acordos ao longo de 2023 – inclusive com filantrópicos do interior – mas que este em especial, envolvendo o Sindiberf da capital, está sendo o de maior resistência e dificuldade na negociação.

Sem avanços na mesa, o desembargador Alexandre Corrêa da Cruz, deu prazo para que o Sindiberf apresente uma nova contraproposta aos sindicatos, antes do final do ano. “Precisamos avançar e sair do NÃO”, declarou o mediador.

Uma nova sessão de mediação ficou marcada para o dia 18 de dezembro, às 16h, no TRT-4. O SERGS e as demais entidades sindicais que representam os trabalhadores dos filantrópicos da capital esperam avanços para essa data a fim de fechar um acordo antes do NATAL.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 × 5 =