Audiência pública cobra ações efetivas no combate à dengue

O SERGS marcou presença na audiência pública realizada nesta quarta (24) pela Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa, para tratar sobre os riscos e os prejuízos da proliferação da dengue no Rio Grande do Sul. A audiência teve como proponente o deputado Valdeci Oliveira (PT) e foi coordenada pelo presidente da Comissão, deputado Neri, o Carteiro (PSDB). O SERGS foi representado pelas diretoras Bruna Engelman e Inara Ruas – que também esteve na audiência em nome do Conselho Estadual de Saúde e da Federação Nacional dos Enfermeiros (FNE).

Conforme dados da Secretaria Estadual da Saúde, já são 16,5 mil casos notificados de dengue neste ano e nove mil em investigação. Nos primeiros cinco meses de 2023, 34 gaúchos morreram em decorrência da doença e, em todo o ano passado, foram 66 óbitos.

“A situação atual é muito grave e exige rigor e prioridade por parte do governo”, defendeu o deputado Valdeci de Oliveira. Inara Ruas relata a má gestão do SUS no Estado e a falta de investimentos na Atenção Básica. Que não se pode culpabilizar a população pela demora em procurar atendimento de saúde quando a Atenção Básica não cumpre seu papel de porta aberta e orientador do cuidado. Para a vice-presidente do CES, a subnotificacao e os diagnósticos equivocados demonstram o despreparo das equipes para esta epidemia de dengue.

Bruna Engelman relatou sua experiência com atenção básica e trouxe a questão da falta de educação permanente nas unidades e o número reduzido de agentes comunitários de saúde e de endemia, que, segundo ela, são fundamentais no combate à dengue e outras doenças.

A Comissão de Saúde e Meio Ambiente deverá cobrar do Poder Executivo o incremento na divulgação de informações sobre a dengue no RS e ações mais efetivas no atendimento da população.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

8 + 20 =