Filantrópicos: interior avança na proposta e nova rodada de negociação com patronal da capital está marcada para junho


O SERGS participou nesta terça (16), no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), de mediação para buscar a recomposição dos salários em 2023, com o Sindiberf. Participaram desta reunião, realizada na sede do tribunal, a vice-presidenta do SERGS, Denize Cruz, as assessorias jurídicas do sindicato (escritórios Paese e Ferreira e Young e Lauxen) e representantes dos hospitais filantrópicos. A mediação foi do desembargador Ricardo Martins Costa, vice-presidente do TRT.


Em relação à proposta para enfermeiras e enfermeiros do interior, houve um avanço considerável na negociação, contemplando um total de 6% de reajuste – sendo 3,83% referente ao INPC na data-base e o restante de forma parcelada ainda a definir.


A proposta feita pelo SERGS será agora discutida entre as entidades patronais do interior e até a próxima semana deverá estar definida para votação em assembleia pela categoria. Segundo Denize, o resultado da negociação de hoje é positivo, pois garante reposição de perdas históricas reivindicadas por enfermeiras e enfermeiros do interior.


Já o Sindiberf RS da base de Porto Alegre e municipios do entorno e litoral resiste em conceder além do INPC. A direção do SERGS disse que não vai chamar assembleia com enfermeiras(os) de filantrópicos da capital enquanto a proposta não avançar na reposição de perdas financeiras. Uma nova rodada de negociação com os representantes Sindiberf da capital está marcada para o dia 20 de junho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezesseis − treze =