Piso Salarial da Enfermagem: a luta é coletiva e não cessa

O Grupo de Trabalho instituído pelo Ministério da Saúde para discutir o piso salarial enfermagem deve entregar essa sexta (27) um relatório indicando novas fontes de financiamento para o cumprimento da Lei.

A lei do piso salarial da enfermagem está suspensa pelo Supremo Tribunal Federal (STF) desde setembro, por conta da suposta falta de viabilidade orçamentária para custear os novos valores para técnicos, auxiliares e enfermeiros(as).

O Fórum Nacional da Enfermagem e suas entidades têm promovido intensos debates com o governo federal e representantes do Legislativo para pressionar a busca de soluções para o pagamento do piso. Nesta semana, o piso salarial da enfermagem foi tema recorrente nos debates realizados no Fórum Social Mundial, em Porto Alegre. O SERGS como sindicato que integra a Federação Nacional dos Enfermeiros (FNE) e o Fórum Nacional da Enfermagem tem participado ativamente de todas essas discussões.

Muitas(os) enfermeiras(os) questionam a morosidade no processo do pagamento do piso, mas é importante lembrar que essa é uma luta de mais de 30 anos.

A pandemia contribuiu para mostrar a força da enfermagem e acelerar a discussão da importância do piso, levando à aprovação da Lei, mas ainda é preciso vencer uma série de entraves políticos e corporativos das entidades patronais, que resistem em valorizar os profissionais no contracheque.

Se já é difícil aos sindicatos negociarem todos os anos a reposição inflacionária e direitos já adquiridos, imagine um piso nacional que elevará a renda de milhares de profissionais, muitos deles explorados, com salários baixos?

A tarefa não é fácil, mas o SERGS e o coletivo de entidades da enfermagem resistem. Seguem lutando pelo piso e pela jornada de 30 horas, além de descanso digno e muitas outras bandeiras.

O ano de 2023 traz boas perspectivas. Novos caminhos começam a se abrir para a enfermagem. Mas a valorização efetiva só vai acontecer se toda a categoria se somar na luta, principalmente se reconhecendo como classe trabalhadora como colegas que atuam em equipe. “O desafio é conscientizar a enfermagem que essa luta não é só das entidades, mas de todos que atuam nessa profissão”, conclui a presidenta do SERGS, Cláudia Franco.

Acompanhe no site do SERGS as novidades sobre o piso salarial da enfermagem e outras bandeiras. Valorize quem te representa! E venha se somar na luta!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quatro × 1 =