Posse de Nísia coloca saúde em pauta

O SERGS saúda a posse da nova Ministra da Saúde, Nísia Trindade, que ocorreu nesta segunda, 2 de janeiro, em Brasília, justamente na data que marca o Dia do Sanitarista – em homenagem ao grande sanitarista brasileiro Oswaldo Cruz.

Nísia tem um histórico de pesquisa e envolvimento na gestão da saúde pública no Brasil. Presidiu de 2017 até sua posse como ministra a Fundação Oswaldo Cruz, instituição que teve papel fundamental no combate à pandemia do coronavírus. Professora de História das Ciências da Saúde na Fiocruz, Nísia foi fundadora do Observatório da Covid-19 e coordenou todas as tratativas com a Universidade de Oxford e a farmacêutica Astrazeneca para produção e distribuição de vacinas durante a pandemia.

A primeira mulher a liderar o Ministério da Saúde anunciou, no ato de posse, que deve revogar portarias e notas técnicas que ofendem a ciência, os direitos humanos, os direitos sexuais e reprodutivos e que imprimiram uma agenda conservadora e negacionista da ciência na última gestão federal. Prometeu fortalecer o SUS, defender a vacinação e guiar a pasta a partir do conhecimento científico.

O SERGS e todas as entidades da Enfermagem no Brasil depositam expectativas positivas no trabalho que será conduzido por Nísia, à frente da saúde no país. Há um anseio geral de que a nova ministra apoie o Piso Salarial da Enfermagem e revogue portarias e notas técnicas que violaram bases importantes do exercício profissional, como o desmonte da Rede Cegonha (que atingiu diretamente a atuação da enfermagem obstétrica), entre outros temas.

Outra boa novidade do dia foi a extinção da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), que tinha anteriormente como atribuições “promover a inclusão social por meio de ações de saneamento para prevenção e controle de doenças”. Com a extinção dessa fundação, as atividades relacionadas à vigilância em saúde e ambiente passam a ser totalmente coordenadas e executadas pelo Ministério da Saúde, dando mais autonomia à pasta.

“Temos esperança e convicção de que hoje se abriu um novo tempo de fortalecimento do SUS, respeito à ciência e valorização dos profissionais da saúde”, afirma a presidenta do SERGS, Cláudia Franco.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dois × 4 =