Prefeito Jairo Jorge: sindicatos não vão dar quitação do desconhecido!

Segue a defesa dos direitos dos trabalhadores da saúde de Canoas

O SERGS participou nesta segunda (14) de mais uma mediação do TRT sobre as demissões de Canoas. Mais uma vez, a sessão demonstrou o desrespeito com os trabalhadores e as entidades sindicais que os representam, com uma tentativa do município de passar a qualquer preço uma contraproposta de redução no parcelamento de 28 para 24 meses, atrelada à quitação de toda e qualquer dívida trabalhista.

“Os sindicatos estão acostumados a participar de mediações muito duras no TRT, mas nada até hoje tão desrespeitoso quanto o que estamos vivendo desde o início deste ano com as demissões de Canoas”, desabafou a presidenta do SERGS, Cláudia Franco. Segundo ela, as mediações têm se sucedido, mas não há clareza de como serão feitos os cálculos das rescisões, e falta um canal para atender os profissionais demitidos em questões básicas, como a entrega dos últimos contracheques e a baixa da carteira digital. “O prefeito Jairo Jorge não se precaveu para gerenciar essa situação e agora está tentando transformar os sindicatos em vilões da história”, analisou Cláudia.

O assessor jurídico do SERGS, Jeverton Lima, ressaltou as bases preocupantes desta tentativa de acordo forçada pelo município. “Os sindicatos podem flexibilizar no parcelamento, mas jamais dar quitação de verbas rescisórias, sem uma perícia contábil e uma discussão das normas que serão aplicadas”, afirmou Jeverton.

Na terça (15) e quarta-feira (16), segue a entrega dos alvarás para saque do FGTS na sede do Sindisaúde (Rua Vicente da Fontoura, 2280 – Porto Alegre), para enfermeiras(os) que ainda não buscaram estes documentos. Durante a semana, os sindicatos e suas assessorias jurídicas também estarão se reunindo para analisar as próximas medidas cabíveis na defesa dos profissionais demitidos(as).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

nove + 3 =