Audiência pública trata da violência obstétrica

A diretora Cláudia Franco representou o SERGS nesta quarta, dia 15, na Assembleia Legislativa, na audiência pública sobre os casos de violência obstétrica no RS. A audiência foi promovida pela deputada Manoela D´Avila, em conjunto com a Comissão de Direitos Humanos, e reuniu profissionais de várias entidades envolvidas com o tema.
A violência obstétrica precisa ser reconhecida e tratada como um dos tipos de violência de gênero. Ocorre não somente na hora do parto, mas em várias situações violentas que a mulher enfrenta ao longo de sua vida reprodutiva.
Durante a audiência, Cláudia, que tem formação em Enfermagem Obstétrica, salientou o papel de enfermeiros(as) neste processo. “Muitas vezes, há dificuldade em notificar a violência”, afirmou. “É necessário empoderar enfermeiras, enfermeiros e as mulheres neste combate à violência”. A diretora do SERGS também destacou que o cuidado deve começar já no pré-natal e que este tipo de debate é importante para a criação de políticas de saúde pública sobre o tema.
Também participaram da audiência representantes do Coren-RS, Abenfo, Observatório da Violência Obstétrica e Grupo Inclusivas. A audiência também foi prestigiada pela delegada sindical do SERGS, Silvia Medeiros. Ao final, foi encaminhada a criação de um grupo de trabalho para a elaboração de um projeto de lei de combate à violência obstétrica.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quatro × 4 =