Terça-feira, 28 de Março de 2017
O sindicato
Opções de compartilhamento

Um pouco da nossa história
O início da organização dos enfermeiros(as) no Estado se deu a partir da Associação Profissional dos Enfermeiros do Rio Grande do Sul, fundada em 30 de novembro de 1972, uma época em que o Brasil vivia sob o manto da ditadura militar. Depois de quatro anos, e para dar fortalecer a luta da categoria, foi criado, o Sindicato dos Enfermeiros no Estado do Rio Grande do Sul (SERGS), cuja carta sindical foi outorgada 10 de abril de 1976 e entregue pelo então Ministro do Trabalho Arnaldo da Costa Prieto a primeira presidenta da recém criada entidade, a enfermeira Celina da Cunha Tibiriçá, que já ocupava o cargo de presidenta da antiga Associação e assumiu em caráter provisório no dia 17 de maio daquele mesmo ano. A cerimônia aconteceu no anfiteatro do Hospital Ernesto Dornelles.

Imediatamente foi organizado o primeiro processo eleitoral e, no dia 15 de outubro de 1976 tomou posse a primeira diretoria eleita, tendo à frente da entidade a enfermeira Flávia Hentschel.

Em 1990, o SERGS se filiou à Central Única dos Trabalhadores (CUTRS) e em 1987 à Federação Nacional dos Enfermeiros (FNE). O objetivo foi promover a unidade da classe trabalhadora e dos enfermeiros em todo o Brasil, para avançar nas conquistas e direitos.

Em 1995, em mais uma grande conquista da categoria foi adquirida a sede da entidade, inaugurada no dia 12 de maio do mesmo ano.

Em maio de 2008, o Sindicato inaugurou sua primeira sub-sede na cidade de Caxias do Sul.

Nestas três décadas de existência foram muitas as vitórias, mas a maior delas foi ter promovido a unidade de todos os enfermeiros(as), na luta pela valorização da categoria. O SERGS é de todos(as) e está sempre aberto aos enfermeiros(as) que queiram somar na nossa luta, que é árdua, mas gratificante.

Estrutura política
O SERGS, como representante legal da categoria, possui os seguintes órgãos diretivos:

Assembléia Geral
Conselho Diretivo
Diretoria
Conselho Fiscal
Delegacias Sindicais
Delegado Sindical

Estrutura administrativa
Assessoria jurídica
Assessoria contábil
Assessoria de comunicação
Assessoria de eventos e mobilização
Assistente administrativo I e II
Secretária executiva

Conceitos e funções
O Sindicato dos Enfermeiros no Estado do Rio Grande do Sul é constituído com sede e foro no município de Porto Alegre, Estado do Rio Grande do Sul para fins de estudo, defesa, coordenação, proteção e representação legal da categoria profissional dos enfermeiros, com base territorial no Estado do RS, e visa a melhoria das condições de vida e de trabalho dos Enfermeiros, a independência e a autonomia de representação sindical, a manutenção das instituições democráticas de nosso país, a defesa dos direitos humanos, da paz e da solidariedade entre os povos, a defesa das liberdades individuais e coletivas, a defesa da saúde, do meio-ambiente e a luta pela justiça social.

Atribuições
Defender os interesses dos associados, da categoria e o interesse dos trabalhadores.
Zelar pelo cumprimento de todas as Leis.
Zelar pelo patrimônio social, material e cultural.
Cumprir as resoluções das Assembléias Gerais e Congressos da Categoria.
Promover e participar de eventos sindicais, culturais, sociais de formação sindical.
Organizar a categoria para atividades sindicais.
Celebrar acordos e convenções coletivas de Trabalho ou instaurar Dissídios Coletivos.
Estabelecer mensalidade e/ou anuidade para os associados.
Emitir parecer sobre estudos e projetos de qualquer natureza de interesse da categoria.
Representar, perante as autoridades administrativas e judiciárias, os interesses gerais da categoria.

Sustentação Financeira
O SERGS não só representa como pertence aos enfermeiros do Rio Grande do Sul. É a categoria que contribui para a luta e a sustentação financeira do Sindicato. As taxas cobradas são as seguintes:

1 – Taxa confederativa - Descontada de todos os Enfermeiros, porém o SERGS só se utiliza deste expediente em situações emergenciais.

2- Desconto assistencial - É descontada de todos os enfermeiros. Seu desconto é feito no dissídio. O valor do desconto é definido em assembléia da categoria.

3- Taxa de associado - É a contribuição feita pelo enfermeiro sindicalizado, cujo valor é decidido pelos próprios sócios em Assembléia Geral.

4- Contribuição sindical - Esta taxa deve ser paga até 28/02 de cada ano, como profissional liberal, através de guia. Caso contrário é descontado compulsoriamente em folha um dia de trabalho.

Você - enfermeiro(a) - é o principal motivo deste sindicato!
O Sindicato que queremos, nos mostra que o futuro é o aqui e o agora. É neste tempo, que vive o presente e aponta para o futuro, que temos a real possibilidade de construir uma vida com qualidade, dignidade e solidariedade. Temos que ver o mundo, a partir de um olhar que abranja não somente o mundo dos trabalhadores(as) da saúde, mas sobre o mundo do trabalho.

Somos, acima de tudo, portadores de vida. Nosso trabalho e salário são aspectos de um todo, onde somos inteiros, vibrantes, vivos.

E é neste todo que vive em cada um, que precisamos conquistar democracia e cidadania para os trabalhadores de todo o País.

Aqui a modernidade perde o sentido demagógico para se transformar em ação social concreta. Dá sentido a nossa vida.

O sindicato que queremos se movimenta, age, faz, vive, acontece, luta e soma. Estes são os desejos da atual Diretoria do SERGS que quer construir com vocês uma nova realidade! Um SERGS forte nos locais de trabalho, integrado no dia-dia da categoria e unido com outros profissionais da saúde, para ser mais forte. No trabalho, na vida, na cidadania.

PDF Imprimir