SERGS defende manutenção da Atenção Básica e testagens para Covid-19 aos profissionais de saúde | Sergs

Notícias

SERGS defende manutenção da Atenção Básica e testagens para Covid-19 aos profissionais de saúde

 

O SERGS marcou presença nesta quarta, dia 24, na audiência realizada pela Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa de Porto Alegre, para tratar da situação enfrentada pelos pacientes com neoplasias malignas durante a pandemia no Estado.

Durante a audiência, Claudia Franco, presidenta do SERGS, pontuou sobre a falta de entendimento dos gestores municipais de saúde sobre a universalidade do SUS, além do falto de preparo em lidar com a questão da pandemia. Seu foco principal foi em relação à Atenção Básica, que foi negligenciada em muitos municípios e afirmou que “as prefeituras acabaram fazendo um cancelamento dos atendimentos dos pacientes na Atenção Básica, então, se fechou tudo. Não se atendeu mais o básico e as pessoas ficaram um pouco perdidas”.

Cláudia relatou que o SERGS vem recebendo ligações de diversos profissionais de saúde da Atenção Básicas desesperados pela situação agravante que se formou. “Na realidade a gente sabe que os profissionais de saúde que trabalham na Atenção Básica acabam criando uma relação muito próxima aos pacientes”, afirmou. “Essa semana eu recebi a ligação de uma colega que me disse que trouxe seu familiar, que morava no interior, para a casa dela porque o paciente estava em quimioterapia. Ela solicitou transporte para leva-lo para a sessão de quimioterapia e foi negado pela prefeitura porque o paciente não era morador da cidade. Isso é o cúmulo - por que interromper a quimio do paciente porque ele não é morador da cidade, sendo que o SUS é universal” reforçou afirmando que esta situação demonstra a falta de sinergia entre os municípios.

Por fim, Claudia Franco trouxe como pauta as testagens para Covid-19 em profissionais de saúde. Segundo a Presidente do SERGS, 75% dos pacientes positivados em Covid-19 são assintomáticos, e o Rio Grande do Sul é o Estado que menos realiza testes para a doença. “A gente quer testar porque podemos estar sendo vetores do vírus para nossos pacientes e familiares. Então é importante que os profissionais de saúde sejam testados para evitar transmissão” pontuou.

Compartilhe esta notícia