Posse do CMS tem como marca defesa do SUS em Porto Alegre | Sergs

Notícias

Posse do CMS tem como marca defesa do SUS em Porto Alegre

 

O SERGS participou nesta quinta, dia 9, da posse da nova coordenação do Conselho Municipal de Saúde de Porto Alegre para o período 2020-2021. O novo coordenador do CMS na capital é Gilmar Campos, representando os usuários do SUS, que substitui Maria Letícia de Oliveira Garcia, que representava os trabalhadores.

A diretora do SERGS, Inara Ruas, representou a entidade na solenidade de posse. “É muito importante que o controle social se mantenha ativo, especialmente neste momento de desmonte da saúde no município, defendendo usuários do sistema e condições de trabalho dignas para os profissionais da saúde”, salientou.

A posse também teve a presença dos presidentes do Conselho Nacional da Saúde, Fernando Pigatto, e do Conselho Estadual da Saúde, Cláudio Augustin. Pigatto comentou que Porto Alegre reproduz o desrespeito com o controle social que está acontecendo em muitos outros pontos do país. “É importante somarmos esforços e conhecimentos nessa hora – usuários, trabalhadores e entidades – em defesa do SUS”, complementou. Augustin complementou dizendo que a luta não deve ser isolada. “É importante unificar a luta nos Conselhos de Saúde, Sindicatos e Conselhos Profisionais”, observou.



 

Caso IMESF em pauta

Após a posse da nova coordenação, o plenário do CMS debateu o caso IMESF.  Houve vários relatos de usuários, profissionais e representantes de entidades sobre o que está acontecendo nas unidades de saúde que estão em transição para o programa Saúde na Hora.

Estêvão Finger, ex-presidente do SERGS e enfermeiro do IMESF, lembrou que a luta não é somente pelos empregos, mas por atendimento de qualidade à população. E afirmou estar havendo total desrespeito da gestão com os profissionais: “não entramos pela porta dos fundos, somos concursados que nos dedicamos há muitos anos pelas comunidades e estamos confiantes na decisão da Justiça”.



Ao final da reunião, duas decisões importantes foram encaminhadas. Além de emitir um parecer questionando vários pontos do ato administrativo de cooperação da Prefeitura com entidades nos postos da capital, solicitando sua anulação, foi criado, conforme Regimento do CMS, uma subcomissão de fiscalização nos postos, envolvendo conselheiros e representantes de entidades. O SERGS fará parte desta subcomissão, que já começa a se estruturar nesta sexta, dia 10.

Compartilhe esta notícia