Entidades buscam apoio da UFPEL para estabelecer critérios para testagem dos profissionais | Sergs

Notícias

Entidades buscam apoio da UFPEL para estabelecer critérios para testagem dos profissionais

 

O SERGS defende que seja estabelecida uma periodicidade para a testagem dos profissionais da saúde na linha de frente da Covid e que a mesma seja seguida pela gestão das instituições. Na próxima sexta, dia 01 de agosto, o sindicato e as demais entidades que representam os trabalhadores na linha de frente estarão reunidos com pesquisadores da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), que realiza uma pesquisa em nível nacional sobre a Covid, para identificar qual seria a periodicidade ideal para profissões que atuam tão próximo à doença. “Os rodoviários garantiram judicialmente a testagem a cada 21 dias. O que queremos são critérios científicos para definir a periodicidade mais adequada para a testagem da enfermagem”, afirma a presidente do SERGS, Cláudia Franco.

Na terça, dia 4, acontece uma nova rodada de mediação no TRT4 com os hospitais. Os hospitais também se comprometeram na mediação realizada nesta semana a apresentar uma proposta para o cumprimento da decisão judicial de testar todos os profissionais de saúde do RS vinculados a hospitais de referência no atendimento da COVID-19, assim como os de médio porte com atendimento regional, UPAS e Centros de Saúde com grande volume de casos, até o prazo máximo de 17 de agosto.

O caso está sendo mediado pela juíza Ana Luiza Cruse e conta com a participação de dirigentes da CUT, Feessers, Coren-RS e dos sindicatos que representam os trabalhadores. A testagem em massa de todos os profissionais na linha de frente e em especial da enfermagem tem sido uma das bandeiras defendidas pelo SERGS desde o início da pandemia. A Gestão Resistência do SERGS tem acompanhado de perto os casos de enfermeiros(as) infectados e os surtos de Covid nas instituições. “Estamos vivendo um momento crítico no RS e não podemos colocar ainda mais em risco os profissionais, seus familiares e a população em geral”, complementa Cláudia Franco.

Veja um resumo dos principais pontos definidos na mediação realizada nesta semana no TRT:

1) Aplicação do teste RT-PCR em todos os profissionais da saúde que prestam serviços nos hospitais e unidades de atendimento relacionados pelas entidades representantes dos trabalhadores.

2) Serão considerados os trabalhadores que não tiverem sido submetidos a tal testagem a partir de 1º de julho de 2020.

3) A testagem deverá ser realizada até o dia 17 de agosto de 2020.

4) Os empregadores poderão, para o fim da testagem em questão, participar de projetos do governo do Estado do Rio Grande do Sul ou outros que estiverem propiciando a testagem.

5) Cada empregado, em caso de multiplicidade de contratos de trabalho, deverá ser testado neste período uma única vez, devendo a obrigação ser cumprida pelo empregador do contrato mais antigo.

6) Deverão ser testados tanto os empregados sintomáticos quanto os assintomáticos, incluídos aqueles que trabalham em áreas COVID e não COVID.

7) A mediação prosseguirá para avaliar a implementação da proposta e demais pretensões das entidades, com nova rodada marcada para o próximo dia 4 de agosto, às 14h.

Compartilhe esta notícia