Prefeitura da capital é questionada sobre terceirização e falta de nomeação de profissionais para a saúde, em reunião da COSMAM

 

A Comissão de Saúde e Meio Ambiente (COSMAM) da Câmara Municipal de Porto Alegre realizou nesta terça, dia 5, reunião para debater a falta de servidores públicos em hospitais e pronto atendimentos da capital. A pauta foi proposta pelo vereador Aldacir Oliboni e teve a participação da presidenta do SERGS, Cláudia Franco.

Conforme o vereador Oliboni, há muitos profissionais aprovados em concursos da saúde que ainda não foram chamados para tomar posse, entre eles enfermeiras(os) – 65 no total. Ele também ressaltou que a falta de profissionais está comprometendo o atendimento da população da cidade, no Hospital Pronto Socorro (HPS) e em unidades básicas de saúde, como o Posto da Cruzeiro da Sul. A Prefeitura justifica o atraso nas nomeações, dizendo que os concursados estão sendo chamados e que 150 servidores atuais do quadro estão sendo realocados para o atendimento da saúde.

Para Cláudia Franco, essa situação é muito preocupante e denota o total descaso da gestão municipal com a saúde dos porto-alegrenses, sendo consequência direta das terceirizações no setor. “As entidades do controle social nunca foram chamadas para traçar um plano estratégico para a saúde da capital. A gestão terceirizou a saúde e agora busca agradar seus parceiros, virando as costas para o cidadão que precisa de atendimento”, comentou a presidenta do SERGS, durante o debate. Cláudia também enfatizou que saúde deve ser vista como investimento pela gestão municipal, não como gasto.

Ao final da sessão, o vereador Oliboni lembrou que a atual administração municipal terá de responder judicialmente pela contratação da empresa paulista SPDM para gerir os pronto-atendimentos em Porto Alegre, pois este contrato tem sido sistematicamente descumprido pela terceirizada.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quatro × quatro =