É hora da sociedade brasileira reconhecer a Enfermagem

O mês de maio chegou e, com ele, um momento ímpar para a Enfermagem brasileira. Além da comemoração do Dia do Enfermeiro, no 12 de maio, do Dia Nacional de Lutas da Enfermagem, no dia 17, e do Dia do Técnico de Enfermagem, no dia 20, outra data gera grande expectativa: é o 4 de maio, dia em que está previsto a votação do Projeto de Lei 2564 – que institui o Piso Salarial da Enfermagem – na Câmara dos Deputados, em Brasília.

A implantação de um valor mínimo para os salários da Enfermagem é de suma importância para os profissionais desta área. O valor proposto ainda não é o ideal, mas reduz diferenças salariais gritantes e eleva a remuneração de muitos colegas, principalmente nas cidades do interior.

Essa é uma dívida histórica da sociedade brasileira, em especial após o enfrentamento de uma dura pandemia, por mais de dois anos. No período mais crítico dos atendimentos às vítimas da Covid, foi a Enfermagem que esteve na linha de frente. Recebemos muitos aplausos da população, mas chegou a hora de um reconhecimento efetivo da sociedade brasileira e isso passa pela nossa classe política.

A aprovação deste Projeto de Lei terá impacto na geração de empregos em todo país, podendo representar um aumento percentual de 0,8% na oferta de vagas. Evitará também o adoecimento dos profissionais, hoje submetidos a duplas e triplas jornadas de trabalho para aumentar seus rendimentos.

Há várias fontes de financiamento que demonstram ser viável, sim, o pagamento deste Piso aos profissionais da Enfermagem. As entidades da Enfermagem já apresentaram aos deputados que o impacto da implantação deste Piso é irrelevante no setor público e totalmente passível de absorção pelo setor privado.

Sabemos que é preciso avançar mais – principalmente em relação à carga horária dos profissionais. Lutamos para que a jornada de enfermeiros e técnicos seja de 30 horas semanais, como preconiza a Organização Mundial da Saúde.

Somos milhares de profissionais da Enfermagem em todo país, que sustentam suas famílias e precisam de dignidade. Seguimos em frente, rumo a um maio de mais valorização da Enfermagem brasileira.

 

Cláudia Franco

Presidenta do Sindicato dos Enfermeiros do RS

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

doze + 17 =