MPT exige posicionamento do município no caso do Hospital Porto Alegre

O SERGS participou nesta quarta (8) de uma nova audiência do caso do Hospital Porto Alegre, na tentativa de dar fim ao impasse referente aos atrasos salariais e demissões ocorridas na instituição. A mediação foi novamente conduzida pela Procuradora do MPT, Juliana Bortoncello Ferreira, com participação da presidenta do SERGS, Cláudia Franco, e do assessor jurídico do sindicato, Saulo Oliveira do Nascimento.

A Associação Beneficente São Miguel (ABSM) deverá se posicionar perante o MPT e entidades acerca da liberação das guias de FGTS e seguro desemprego; e informar qual será o encaminhamento que dará na questão dos empregados com estabilidade (seja qual for o motivo da estabilidade).

SERGS e Sindisaúde também irão encaminhar cópias das decisões judiciais proferidas nas ações que tramitam perante a Justiça do Trabalho e em que consta a determinação de reserva de valores pelo Município e depósito nas contas judiciais respectivas de valores porventura devidos à Associação Funcionários Municipais de Porto Alegre (AFMPA).

Por determinação do MPT, a Prefeitura de Porto Alegre também deverá se posicionar em relação aos valores discutidos e repassados à ABSM. Uma nova audiência está marcada para o próximo dia 15, às 10h, com todos os envolvidos.

“O SERGS seguirá lutando pelos enfermeiros(as) vinculados(as) ao Hospital Porto Alegre para que tenham seus direitos garantidos e recebam todas as verbas devidas”, afirmou a presidenta Cláudia Franco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dois × 3 =