Lideranças debatem situação da atenção básica na capital e convidam para protesto no dia 11

A Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Câmara de Vereadores de Porto Alegre realizou nesta terça (9) uma reunião online para tratar sobre a reintegração dos funcionários do IMESF. Além de vereadores, participaram da reunião o desembargador Francisco Rossal de Araújo e lideranças de entidades sindicais e representantes de trabalhadores já reintegrados.

O vereador Odacir Oliboni, que apoia a luta dos trabalhadores do IMESF desde o princípio, ressaltou que o IMESF não foi extinto e que as demissões feitas em plena pandemia são ilegais. “O IMESF existe, tanto é verdade que muitos profissionais já estão sendo reintegrados. Cedo ou tarde o poder público terá de pagar pela ilegalidade cometida”, afirmou. Oliboni também enfatizou que a terceirização nas atividades-fim da atenção primária é inconstitucional.

Já o vereador Jonas Reis questionou a falta de visão do município em relação ao que seja Estratégia de Saúde da Família. “Como acompanhar o crescimento das crianças de uma comunidade se não há um pediatra de referência? Da forma como está proposto, não há nenhum vínculo dos profissionais com as comunidades”, observou.

A presidenta do SERGS, Cláudia Franco, disse que foram apresentadas diversas alternativas ao município e que nenhuma foi considerada pelo poder público. “É surreal ter de defender a atenção básica justamente agora que teremos um grande contingente de sequelados da Covid. Está comprovado que ela promove saúde e reduz internações. Mas a prefeitura de Porto Alegre preferiu desmontar o modelo, por opção política, seguindo o erro da gestão anterior”, afirmou a presidenta do SERGS.

Mais uma vez, não houve um posicionamento oficial da Prefeitura sobre as medidas que serão tomadas em relação aos profissionais demitidos e a situação do IMESF nos próximos meses.

As entidades sindicais estão convocando um ato em defesa do emprego e da saúde pública, nesta quinta-feira, dia 11, com concentração a partir das 8h, na Secretaria Municipal da Saúde da capital.     

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

onze + oito =