SERGS participa de reunião com senador autor do PL2564 e reitera defesa do projeto original do piso salarial da enfermagem

A presidenta do SERGS, Cláudia Franco, participou nesta terça, dia 22, de uma reunião on-line com o Senador Fabiano Contarato, autor do PL2564, que institui o Piso Salarial da Enfermagem. Cláudia também representou a CNTSS-CUT, entidade da qual é diretora.

Representantes de sindicatos e confederações de todo o Brasil e da Federação Nacional dos Enfermeiros participaram do encontro, que debateu a “manobra política” que está sendo articulada no Senado para tentar reduzir pela metade os salários propostos no texto original e retirar a cláusula das 30h semanais.

Conforme Fabiano Contarato, o presidente do Senado Rodrigo Pacheco pretende agendar uma reunião com as entidades para apresentar essa nova proposta, antes de levar o PL à votação. O autor do projeto afirmou, no entanto, que fez a defesa, junto à presidência da casa, da importância da manutenção do texto original, por contemplar pleitos históricos da categoria. O PL 2564 já teve relatoria favorável da senadora Zenaide Maia, e está pronto para ir à votação, prevendo salário mínimo de R$ 7.315 para enfermeiras(os), 70% deste valor para técnicas(os) e 50% para auxiliares e parteiras.

No debate com o senador Contarato, as entidades foram firmes na defesa do texto original e pretendem argumentar com a presidência do Senado, mostrando que há recursos para o pagamento do Piso proposto.

A posição do SERGS

Para o SERGS, a redução de valores representa um grande retrocesso no projeto. Segundo a presidenta Cláudia Franco, há recursos para remunerar de forma justa e digna os profissionais, basta vontade política para que isso aconteça. “Revogar a isenção das petroleiras é uma das alternativas que vamos levar para o debate com Rodrigo Pacheco. Só aí já são 49 milhões de lucro que poderiam ser destinados aos profissionais na linha de frente da saúde do país”, sugere.

Cláudia também defende o papel dos sindicatos na discussão desse tema. “Aqueles que estão tentando negociar o valor do piso, à margem dos sindicatos, nada mais são do que vendilhões da enfermagem, que não representam efetivamente a categoria”, sentenciou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − cinco =