SERGS alerta para manobra política para tentar reduzir valor do piso da enfermagem proposto no PL 2564

Em uma entrevista a uma rádio de Patrocínio, no interior de Minas Gerais, o presidente do Conselho Regional de Enfermagem de Minas Gerais, Bruno Souza Farias, afirmou que está sendo articulada no Senado uma contraproposta de redução do piso salarial para Enfermeiras(os) e Técnicas(os) de Enfermagem, em o equivalente à metade dos valores originais propostos no #PL2564, de autoria do senador Fabiano Contarato. O Projeto de Lei que institui o Piso Salarial da categoria da enfermagem já teve relatoria favorável da senadora Zenaide Maia, e está pronto para ir à votação, prevendo salário mínimo de R$ 7.315 para enfermeiras(os), 70% deste valor para técnicas(os) e 50% para auxiliares e parteiras.

A manobra política articulada pelo Coren-MG é inadmissível e vergonhosa. Não é papel dos conselhos de classe se envolver em pautas que envolvam direitos trabalhistas, o que está na esfera de atuação dos sindicatos. O apoio dos conselhos regionais e do sistema Cofen é muito bem-vindo na luta para aprovar a #PL2564, mas se for no sentido de se somar à luta, não para atrapalhar o processo. “É fácil negociar baixar salários quando se ganha verba de representação da autarquia. Um desrespeito com a categoria e principalmente com os sindicatos, um papel vergonhoso de cair no discurso dos gestores da saúde, que se vitimizam”, analisa a presidenta do SERGS, Cláudia Franco.

Conforme Cláudia, o que devemos agora é estimular as casas legislativas a discutir de onde poderiam vir os recursos para remunerar de forma justa e digna a enfermagem. “Revogar a isenção das petroleiras por exemplo. Só aí já são 49 milhões de lucro que poderiam cobrir uma remuneração justa e digna para a enfermagem”, sugere.

Segundo ela, é muito despreparo e demagogia de alguns gestores de entidades e movimentos da Enfermagem, não só em MG, mas em outras regiões do Brasil. A presidenta do SERGS garante que os sindicatos e centrais sindicais e demais entidades estaduais e nacionais da Enfermagem unidos na defesa da causa seguirão firmes na luta, ao lado dos senadores que apoiam o projeto. “Contamos também com a simpatia da opinião pública, que reconhece o valor destes profissionais”, complementa.

O SERGS também convida para o panelaço nacional da enfermagem nesta segunda, dia 21, às 20h30 e para os atos de mobilização e paralisação em todo o país no próximo dia 30, para chamar a atenção para a importância da aprovação do piso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 4 =