SERGS mobiliza categoria e consegue o apoio de dois senadores gaúchos para projeto do Piso Salarial

O SERGS está mobilizando toda a enfermagem gaúcha para pressionar o Senado para a votação do Projeto de Lei 2564, de autoria do Senador Fabiano Contarato (Rede-ES), que trata do Piso Salarial da Enfermagem e da jornada de 30h. Por meio das redes e na articulação com o Fórum Nacional da Enfermagem, o sindicato está preparando um maio histórico de comemoração às datas da Enfermagem e de muita pressão para que a categoria alcance essa importante conquista.

Dois senadores gaúchos, contatados pelo SERGS, já manifestaram seu apoio ao PL 2564: Paulo Paim (PT-RS) e Lasier Martins (Podemos/RS). O SERGS também contatou o senador Luis Carlos Heinze (Progressistas/RS) e não obteve retorno positivo quanto ao pleito da enfermagem.

O senador Paulo Paim salienta que é direito constitucional de qualquer profissional a remuneração proporcional à extensão e complexidade de sua função. “O piso salarial é um reparo imprescindível e que tem de ser feito. Desde a regulamentação da profissão, em 1955, os artigos que tratavam de piso foram vetados”, comentou em vídeo compartilhado nas redes. Paim lembrou também que em 1996 foi aprovada a jornada de 30h para a enfermagem, preconizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a ideal para o bom exercício da profissão, mas a mesma também foi vetada, por pressão dos planos e grandes instituições de saúde. “Os mesmos que estão pressionando agora para não votarmos este novo PL”, complementou. O senador destacou, ainda, que é preciso equiparar à enfermagem a outras categorias da saúde que já conquistaram jornadas especiais, como médicos, fisioterapeutas e assistentes sociais. E finalizou: “A disparidade social é evidente na saúde e diante do maior desafio sanitário deste século ficou ainda mais inquestionável o papel dos verdadeiros heróis que estão salvando vidas nesta pandemia”.

Para o senador Lasier Martins, os profissionais da enfermagem estão fazendo um trabalho histórico nesta pandemia, mostrando seu valor e importância. O senador também reforçou que o Brasil vai precisar ainda mais destes profissionais por conta das sequelas desta doença. “É justo e já é tarde a concessão do piso salarial”, afirmou Lasier, que recentemente contraiu a Covid-19 e precisou de atendimento hospitalar em Porto Alegre.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − 7 =