Debate reforça a importância da ação conjunta das entidades da enfermagem

 

A presidenta do SERGS, Cláudia Franco, participou nesta terça, dia 20, de uma Live promovida pelo Coren-RS e Cofen para debater os projetos de lei e os principais pleitos da Enfermagem em andamento atualmente. O debate, conduzido pelo presidente do Coren-RS, Daniel Menezes de Souza, também teve a presença do conselheiro federal Antônio Marcos, do Cofen.

Cláudia trouxe para o debate os desafios sindicais nos dias de hoje, tanto do ponto de vista da sustentabilidade das entidades, quanto da representatividade. Ressaltou que é preciso fortalecer as entidades e que os colegas devem “sair da zona do conforto, pois nada cai do céu” e  tudo o que já foi conquistado sempre foi historicamente à base de muita luta.

A presidenta do SERGS também enumerou algumas dificuldades pós-reforma trabalhista. “Os desafios para os sindicatos ficaram ainda maiores com as reformas. Para defendermos os profissionais de forma coletiva, precisamos ter o ônus da prova, com documentação que comprove qualquer irregularidade cometida pelos empregadores”, afirmou.

Cláudia enfatizou, ainda, que o sindicato tem há muitos anos buscado o apoio de parlamentares em temas como 30 horas e o piso salarial. Mas lembrou que é importante lutar também por causas menores como a sala para um descanso adequado dos profissionais.

O presidente do Coren-RS, Daniel Menezes de Souza, disse que os papeis do Sindicato e do Conselho de classe são diferentes e que é preciso conhecer as atribuições de cada um para poder acionar adequadamente e até mesmo para criticar.

“Se fosse pelo Conselho e pelo SERGS, há muito tempo pautas como 30h já estariam aprovadas em Brasília”, comentou Daniel. A grande questão, segundo ele, é contar com apoio efetivo dos deputados, senadores e do executivo para aprovação destes projetos.

O conselheiro federal Antônio Marcos ressaltou a importância da mobilização conjunta das entidades, saudando o esforço dos sindicatos neste momento em que se tenta enfraquecer sua atuação em favor dos trabalhadores. Ele acredita ser importante fazer um debate constante e permanente das entidades, unindo forças para avançar nas conquistas da enfermagem, começando o debate já nas escolas que formam estes profissionais.

Na esteira de Cláudia e Daniel, o conselheiro federal também comentou a importância da enfermagem ter representatividade no Congresso e no Senado, e que se conheça e cobre os compromissos de cada parlamentar com a categoria.

“A pandemia deu grande visibilidade à enfermagem, mas nada vai mudar se não seguirmos buscando o apoio da sociedade e maior representatividade na tomada das decisões”, afirmou. Antônio Marcos também antecipou que ainda este ano será lançada uma grande campanha do Cofen, com o objetivo de colocar na ordem do dia do Congresso e do Senado as pautas da enfermagem que aguardam votação, se possível já no início de 2021.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − dezoito =