Descascando limões: há 1 ano, IMESF segue resistindo

 

No dia 17 de setembro de 2019, a Prefeitura de Porto Alegre anunciou um plano sórdido de terceirização da atenção básica na capital, extinção do IMESF e demissão dos seus mais de 1,8 mil trabalhadores(as). Hoje, 365 dias depois, CUT-RS, sindicatos, entidades, trabalhadores(as) e lideranças de vários partidos realizaram um ato para marcar 1 ano de luta e resistência.

Respeitando o distanciamento social e usando máscaras de proteção, os manifestantes levaram limões para a frente da Prefeitura, em alusão à ideia de que estão descascando limões por todo esse tempo e vencendo na pressão política e na Justiça, as tentativas da gestão municipal de acabar com o IMESF. Na época em que foi para televisão anunciar as demissões o prefeito disse que “faria do limão uma limonada” e agora são os(as) trabalhadores(as) que devolvem para ele a ironia. O ato também serviu para lembrar que o atual prefeito Nelson Marchezan Jr tem seu mandato com processo de impeachment em curso, justamente por aplicar mal os recursos da saúde na capital.

“Não vão riscar da saúde de Porto Alegre 1840 trabalhadores que fizeram concurso e já possuem vínculo com as comunidades que atuam”, enfatizou Cláudia Franco, presidenta do SERGS, durante o ato. Também estiveram presentes no ato os delegados sindicais do IMESF Estêvão Finger e Josieli Ferretti de Matos, e o conselheiro fiscal do SERGS, Carlos Füssiger Luz.

O SERGS também produziu um vídeo lembrando os momentos mais marcantes de luta, em seu canal oficial no Youtube, acesse aqui (aproveita e já te inscreve no canal).

Nesta quinta, dia 17, também acontece uma reunião ampliada do Fórum dos Conselhos Distritais de Saúde sobre o desmonte da atenção básica em Porto Alegre, com transmissão ao vivo pelo Face do CMS. O debate será compartilhado também pelo Face do SERGS, acompanhe!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 10 =