Entidades e parlamentares gaúchos lamentam veto a projeto de indenização aos profissionais da saúde

 

As entidades que representam os(as) trabalhadores(as) da saúde no RS receberam com indignação o veto integral do presidente Jair Bolsonaro ao Projeto de Lei 1826/2020, de autoria dos deputados Reginaldo Lopes (PT-MG) e Fernanda Melchionna (PSOL-RS), que garantia o pagamento de indenização de R$ 50 mil a profissionais de saúde incapacitados por contaminação pelo Coronavírus e seus dependentes, em caso de falecimento. A presidência justificou o veto alegando obstáculos jurídicos.

Segundo Cláudia Franco, presidenta do SERGS, este era um projeto que amenizaria a situação dos trabalhadores vitimados com a Covid e suas famílias. “É mais uma demonstração do descaso do governo com os profissionais, que se soma à falta de EPIs e testagem em larga escala”, afirma.

A deputada Fernanda Melchionna, já se manifestou quanto ao veto, dizendo que é preciso toda a mobilização da sociedade e do Legislativo para fazer a derrubada do veto. Veja aqui a manifestação da deputada nas redes.

O senador gaúcho Paulo Paim também lamentou o veto, afirmando em suas redes que essa era uma pauta muito importante, que teve aprovação por unanimidade no Congresso e Senado, unindo situação e oposição.

Melchionna e Paim participaram de um debate à convite do SERGS sobre o projeto. O vídeo está disponível no Youtube do sindicato – acesse aqui.

Manifeste você também sua indignação e junte-se na luta para barrar esse veto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + vinte =