SERGS na luta contra a violência em várias frentes

 

A inadmissível violência contra profissionais da Enfermagem ocorrida no último 01 de maio (Dia do Trabalho), em ato pacífico na capital federal, terá seus responsáveis criminalizados. Já foi protocolado junto à Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão do Ministério Público Federal pedido de enquadramento dos envolvidos em atos de violência, difamação e injúria, bem como investigação e medidas cabíveis. Leia aqui a íntegra do documento.

O SERGS repudia qualquer ato que viole a liberdade de expressão e a violência contra a enfermagem. Especialmente neste mês de maio, que tem no calendário o Dia do Trabalho (01/5) e os Dias do Enfermeiro (12/5) e do Técnico de Enfermagem (20/5) esses atos são ainda mais repulsivos.

O SERGS também manifesta seu total desacordo com o desrespeito contra jornalistas, profissionais igualmente fundamentais para a sociedade neste momento de pandemia do vírus e de fake news.

“Infelizmente, combatemos várias frentes de violência neste momento e ela começa com o discurso do ódio plantado pelo próprio presidente da república”, afirma a presidente do SERGS, Cláudia Franco.

Nesta quarta, dia 6, em reunião do Coletivo de Mulheres da CUT-RS, a violência também esteve em pauta. Foram relatados casos de violência contra as mulheres neste período de pandemia em que estão confinadas com seus companheiros e, muitas vezes, agressores. “A enfermagem é fundamental não somente no enfrentamento da Covid e outras doenças, mas na prevenção e combate da violência contra a mulher, notificando e orientando as pacientes sobre como denunciar a violência sofrida”, afirma Cláudia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 1 =