GHC terá de afastar grupos de risco e reforçar EPIs para quem está na linha de frente – ajude a fiscalizar!

 

O SERGS, em conjunto com outras entidades que representam trabalhadores da saúde, ajuizou nesta semana Ação Civil Pública requerendo o fornecimento imediato de equipamentos de proteção individual (EPIs) e o afastamento de profissionais no grupo de risco para o Coronavírus que estão na linha de frente da pandemia. São contemplados nesta ação todos os(as) enfermeiros e demais profissionais da saúde que trabalham nas Emergências dos hospitais Conceição, Fêmina, Cristo Redentor e Criança Conceição, bem como do Centro de Triagem, UPA’s e áreas de internação de pacientes com COVID-19.

No último dia 6, as lideranças sindicais estiveram em mediação com a gestão do GHC, tratando sobre estes temas e sobre a necessidade de higienização dos uniformes dos trabalhadores que atendem diretamente pacientes com COVID-19 nos próprios hospitais e unidades, para evitar riscos de contaminação. A presidente do SERGS, Cláudia Franco, cobrou providências da gestão. “Quando escolhemos trabalhar com saúde, sabíamos que era uma profissão de risco e juramos salvar vidas, mas isso não nos transforma em suicidas. Neste momento, é preciso zelar pela vida destes profissionais”, diz.

Nova mediação com a gestão do GHC foi agendada para o próximo dia 14 de abril. Até lá, SERGS e as demais entidades estarão fiscalizando se o que foi acordado está sendo efetivamente cumprido. Também é fundamental que os(as) enfermeiros(as) que atuam no grupo ajudem nesta fiscalização e denunciem qualquer irregularidade.

Óbitos aumentam na Enfermagem

O Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) informou em nota que, até o final da tarde daterça-feira (7/4), foram notificados 16 óbitos de profissionais por suspeita de COVID-19, segundo dados levantados pelo Observatório do Cofen. Destes, oito já tiveram diagnóstico confirmado. A cidade de São Paulo tem o maior número de vítimas, com oito óbitos, seguida de Recife com três vítimas e Brasília com duas. Também foram notificados óbitos em Goiânia/GO, Mossoró/RN e São Gonçalo/RJ. Na tabela em anexo apresentamos o número de óbitos por categoria profissional e idade. Ressaltamos que estes índices se referem, ainda, à fase inicial da pandemia no Brasil. É urgente a adoção de medidas para capacitação e oferta adequada de equipamentos de proteção individual para reduzir os riscos de contaminação dos profissionais de Enfermagem que estão na linha de frente do combate à pandemia.

Nesta terça, 7 de abril (por uma coincidência, Dia Mundial da Saúde) o primeiro caso de óbito de profissional da saúde no RS aconteceu no Hospital Conceição. A técnica de Enfermagem Mara Rúbia Silva Caceres faleceu vítima da COVID-19. Ela também foi a primeira vítima da cidade de Alvorada. O conselheiro fiscal do SERGS, Rafael Cervo Melo, colega de Rúbia no GHC, lamenta o falecimento e reforça que toda a atenção com a prevenção é necessária neste momento e que é papel da gestão oferecer os EPIs e afastar grupos de risco.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 16 =