Reforma Trabalhista completa 2 anos – e você, enfermeiro(a), já sentiu as mudanças?

 

A aprovação da Reforma Trabalhista completa dois anos neste dia 11 de novembro. Com a Reforma, aconteceram muitas mudanças que impactaram a vida dos trabalhadores, algumas ainda não totalmente percebidas no dia a dia. No geral, as mudanças não foram boas para os trabalhadores(as). A Reforma também não gerou mais empregos como se anunciava, pelo contrário, em muitos casos, levou à precarização dos empregos.

 

Por isso, mais do que nunca, é necessário fortalecer a luta dos sindicatos para garantir direitos conquistados e amenizar as perdas, gerando uma “barreira de contenção” aos impactos negativos da reforma.

O SERGS e os demais sindicatos de trabalhadores da saúde têm se mantido firmes na luta por garantir as melhores condições de trabalho, por meio das convenções e acordos coletivos de trabalho, que prevalecem sobre a legislação vigente, e garantem pontos importantes como  jornada de trabalho, banco de horas, entre outros.

Vale lembrar que o SERGS representa todos(as) os(as) enfermeiros(as) do Estado do Rio Grande do Sul, defendendo os interesses específicos destes profissionais. Nas convenções firmadas nos últimos anos, foram mantidas cláusulas importantes como sobreaviso, auxílio-creche, banco de horas, adicional por tempo de serviço e adicional noturno, entre outras.

Há também benefícios exclusivos da categoria dos(as) enfermeiros(as), conquistados pelo SERGS, como a garantia de até 10 dias/ano para eventos científicos e outras atividades de capacitação e a liberação do ponto para enfermeiro(a) que estiver em pós-graduação, mestrado ou doutorado que digam respeito à sua atividade na empresa (desde que comunicado com 72 h de antecedência).

Muitas mudanças que a Reforma trouxe ainda não estão totalmente percebidas na saúde mas poderão chegar em breve, como a terceirização e a pejotização (tendência a contratação por pessoa jurídica), que podem levar à precarização do atendimento prestado à população.

É fundamental que você, enfermeiro(a), participe mais ativamente do seu sindicato, compareça às reuniões de negociações pois só na luta coletiva conseguiremos resistir aos impactos negativos da Reforma Trabalhista.

 

Buscando sempre a verdade. SERGS presente!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − onze =