Nota do SERGS: Repúdio às tentativas de culpabilizar os trabalhadores da enfermagem no caso de exames pré-câncer, em Pelotas

Na terça-feira (19), a Promotora de Justiça, Rosely de Azevedo Lopes, veio a público através de entrevista, dar informações sobre o andamento das investigações no caso de exames pré-câncer, em Pelotas. Durante o pronunciamento, a promotora deu a entender que a coleta para análise laboratorial feita pelos enfermeiros, foi feita de forma errada e que isso teria influenciado o resultado dos exames.

Por isso, o Sindicato dos Enfermeiros do Rio Grande do Sul (SERGS) vem a público manifestar repúdio à afirmação da profissional de justiça. Entendemos que o posicionamento de Rosely de Azevedo Lopes desqualifica a Enfermagem e põe sobre os trabalhadores e as trabalhadoras a responsabilidade da fraude.

Os profissionais da enfermagem têm total compromisso com o serviço que prestam e seguem protocolo de atendimento. No caso de coleta, os enfermeiros fazem registro em formulário fornecido pelo Ministério de Saúde, documento que depois do atendimento passa a ser incumbência do laboratório.

Nesse sentido, culpabilizar os trabalhadores e trabalhadoras da Enfermagem é desqualificar a profissão dos mesmos e desconsiderar que o caso em Pelotas é resultado de uma gestão que favoreceu o rendimento privado. O SERGS defende os profissionais e aponta que a Enfermagem é um ofício, justamente, daqueles e daquelas que têm como compromisso preservar a saúde das mulheres e da população como um todo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 4 =