Audiência lembra os 25 anos da Reforma Psiquiátrica no RS

“Os manicômios são uma arma poderosa do neoliberalismo”. Este foi um dos pontos trazidos pelo médico psiquiatra uruguaio Ruben Oscar Ferro, durante a audiência pública sobre Saúde Mental e os 25 anos da Reforma Psiquiátrica no Rio Grande do Sul, realizada pela Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa nesta quarta, dia 16.

Além da presença do autor da lei da reforma – o ex-deputado estadual Marcos Rolim – a audiência também contou com lideranças políticas e na área da saúde, usuários do atendimento e estudantes e profissionais de Enfermagem, Psicologia, Serviço Social e outras áreas. A diretora Janaína Rodrigues representou o SERGS na audiência.

Ferro trouxe em sua fala uma série de questionamentos sobre a forma como é feito o atendimento da saúde mental nos países da América do Sul e o que preconizam os pesquisadores na área. Rolim lembrou a árdua luta para aprovar o projeto nos anos 90, enfrentando muita resistência inicial, mas posteriormente aprovado por unanimidade pelos deputados gaúchos. “A legislação não é perfeita, mas trouxe avanços na questão dos manicômios, dos direitos dos pacientes e do regramento da atenção à saúde mental nos hospitais gerais”, afirmou Rolim.

Para Janaína, o debate foi importante para refletir sobre o que já é praticado hoje no SUS e a necessidade de avanços, pois cada vez estes pacientes precisam estar inseridos(as) na sociedade, como cidadãos e cidadãs.

Texto e fotos: Assessoria de Comunicação SERGS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × quatro =