SERGS convida para ato nesta quarta pela reativação do Parque Belém

O SERGS convida a enfermagem e a comunidade a participar nesta quarta, dia 28, da Audiência Pública sobre a situação do Hospital Parque Belém. A reunião ocorrerá no próprio HPB, a partir das 10h, e deve debater alternativas para a reativação dos serviços do hospital, que recentemente fechou suas portas por problemas de gestão e falta de investimentos do Poder Público resultando na demissão de seus funcionários (as) – que não receberam até o momento seus valores rescisórios de direito.

O presidente do SERGS, Estêvão Finger, visitou recentemente o Hospital Parque Belém e ficou impressionado com a estrutura do hospital e a quantidade de equipamentos ociosos os quais foram adquiridos com recursos públicos, e deveriam estar sendo utilizados em favor da população. “É um ataque aos direitos dos porto-Alegrenses, em especial aos moradores da Zona Sul, que são obrigados a se deslocar para atendimento em áreas centrais da cidade, quando poderiam muito bem ser atendidos ali”, manifestou durante a visita.

Além do desinteresse da gestão pública, a mantenedora Sanatório Parque Belém também tem sua parcela de culpa pela situação atual do hospital. Durante a visita, o presidente do SERGS cobrou da gestão uma atitude quanto as demissões dos funcionários, que não receberam suas rescisões. Além disso, Estevão  lembrou que a prática de não pagamento já era uma cultura aplicada muito antes do Hospital Parque Belém fechar suas portas, haja em vista que diversos funcionários, que foram demitidos antes do funcionamento, também não receberam suas rescisões na época. Sem contar que a prática de atraso no pagamento dos salários havia sido instaurado muito antes do Governo Sartori ser eleito.

O SERGS alerta a população para o descaso do Poder Público, que parece estar mais cercado de desculpas do que de propostas de ação para evitar que um hospital – que não está com equipamentos sucateados, mas, parados – volte a ser a referência em traumatologia e neurologia, atendendo novamente a população da zona sul.

Texto e fotos: Assessoria de Comunicação SERGS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + 6 =