SERGS acompanha audiência na Comissão de Cidadania e Direitos Humanos sobre violência em Cachoeirinha 

O SERGS participou, na manhã desta quarta-feira, dia 5, de uma audiência na Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Estado, para tratar as agressões e abusos sofridos pelos municipários de Cachoeirinha, por parte da Brigada Militar. 

Os(as) trabalhadores(as) repudiaram a ação da BM, revelando os abusos cometidos contra os manifestantes. Relatos de tortura foram trazidos. 

Na defesa contínua da classe trabalhadora, o presidente do SERGS, Estevão Finger, afirmou que a ação da Brigada foi desproporcional e descabida. Em sua avaliação, medidas devem ser adotadas para punir os responsáveis pois os movimentos sociais e sindicais não podem ser criminalizados.

Além disso, conforme solicitação do Sindicato dos Municipários de Cachoeirinha (Simca) a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia deve fazer a intermediação das negociações entre os Municipários e a Prefeitura, já que o Executivo tem se negado a receber as representações sindicais, e não apresenta contra-proposta aos trabalhadores(as).

Entenda o caso: no último dia 30 de março, os manifestantes protestavam contra o pacote de medidas que estava em votação na Câmara de Vereadores, quando foram surpreendidos pela ação da Brigada Militar. Bombas de gás lacrimogênio, spray de pimenta e munição não-letal de borracha foi disparado contra os manifestantes, além de ataques físicos severos que foram desferidos. O pacote votado tratou, entre outras questões, da redução do Vale-Alimentação dos servidores públicos para conter o déficit da gestão pública municipal alegado pela Prefeitura. 

Texto e fotos: Assessoria de Comunicação SERGS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + 8 =